Nosso Blog
Como a tecnologia ajudou na evolução do ciclismo no Brasil?

Como a tecnologia ajudou na evolução do ciclismo no Brasil?

A tecnologia contribui diariamente para a evolução do ciclismo no Brasil. Ao desbravar estradas e montanhas, homens e mulheres ativam seus dispositivos tecnológicos para terem uma experiência mais completa, seja durante, seja depois do exercício.

Cada vez com mais adeptos, o ciclismo não para de crescer no Brasil. De forma recreativa ou mesmo buscando performance, as pessoas querem melhorar a forma física e a qualidade de vida e encontram no esporte de duas rodas a liberdade e o vento na cara que desejam.

Com números que impressionam, o país tem mais bicicletas do que carros. Dá para acreditar? Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), são cerca de 50 milhões de bikes, contra 41 milhões de automóveis.

Além disso, em meio à pandemia de novo coronavírus, as vendas bicicletas tiveram um salto. Entre 15 de junho e 15 de julho, houve crescimento de 118% nas vendas, em comparação com o mesmo período do ano passado. As informações vieram da Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (Aliança Bike).

Liberdade sobre duas rodas

A tão sonhada sensação de liberdade pode ser facilmente experimentada no ciclismo. A velocidade alta nas estradas ou o contato com a natureza na zona rural levam os praticantes a novas experiências.

E elas são compartilhadas com pessoas de todo o mundo por meio das redes sociais. Os amigos não ficam de fora dessa, e cada vez mais a tecnologia aproxima pessoas que têm muito em comum.

Como um esporte praticado muitas vezes em grupo, o ciclismo encontrou na tecnologia uma evolução que há tempos não se via, graças à conectividade.

A tecnologia a favor do ciclismo no Brasil

Se a tecnologia empregada nas próprias bicicletas e em equipamentos já surpreende os praticantes do esporte, a internet trouxe experiências ainda melhores.

Dispositivos como relógios com GPS captam todo o percurso de um treino e depois jogam isso na internet, em aplicativo. De lá, pode-se compartilhar com os amigos e outros praticantes.

Dessas ideias surgiram os aplicativos de celular e outras iniciativas, das quais citamos três:

Strava

Comunidade que reúne praticantes de ciclismo e corrida. O Strava é ótimo para quem quer analisar seu desempenho na bike e ainda interagir como em uma rede social.

Você pode dar likes (chamados de Kudos), comentar e analisar diversos gráficos. Também é possível montar trajetos e desafios e compartilhar com aquele seu amigos que gosta de pedalar com você. É ótimo para criar uma rotina de atividades físicas e querem melhorar seu desempenho, ajudando na evolução do ciclismo no Brasil.

Google Fit

O GoogleFit é uma boa alternativa quando conectada a outro dispositivo, como as pulseiras Mi Band, da Xiaomi. Sem ter a mesma pegada do Strava, ele é uma saída interessante para monitorar metas diárias de atividade.

É mais um advento da tecnologia, que ajudou a evoluir o ciclismo no Brasil. Ao menor sinal de aceleração dos batimentos, o aplicativo já começa a contar pontos de cardio, sem precisar ser ativado.

AtletasNow

É uma rede social de atletas criada para proporcionar visibilidade e oportunidades de patrocínio aos atletas brasileiros. Uma plataforma desenvolvida para fazer o ciclismo – e outros esportes – chegarem a um novo patamar no Brasil.

Quem é praticante de ciclismo pode se cadastrar no site e montar seu portfólio. E o melhor de tudo: a AtletasNow tem integração com o Strava e o Google Fit, ou seja, você pode compartilhar suas atividades de forma automática!

Se você deseja fazer parte desta grande comunidade que é a AtletasNow, faça seu cadastro em nossa plataforma e aproveite uma série de vantagens!

[]