Nosso Blog
Especial Meu Primeiro Patrocínio – Silvana Fernandes

Especial Meu Primeiro Patrocínio – Silvana Fernandes

No alto sertão da Paraíba, a cidade de São Bento, apenas a 15ª mais populosa do estado, tem uma fama curiosa: se autointitula como a “capital mundial das redes”. São mais de 12 milhões produzidas a cada ano – há até mesmo uma rede exposta no portal de entrada do município. Mas São Bento, além de produzir redes, também produziu uma das grandes revelações do esporte paralímpico brasileiro: Silvana Fernandes, atleta de parataekwondo classificada para as Olimpíadas de Tóquio e patrocinada pela AtletasNow.

Foi despretensiosamente, nas aulas de Educação Física, que Silvana viu sua trajetória no esporte começar. Seu professor, Pedro Filho, enxergou um grande potencial da aluna para ingressar no paradesporto. “Fiquei curiosa. Eu nem sabia que isso existia”, recorda Silvana.

Bem-vinda ao paradesporto

O começo não foi no taekwondo, mas sim no atletismo. Como num toque de mágica, a paraibana logo foi levada para a sua primeira competição nacional: o Brasileiro Sub-18, em São Paulo. Ela ganhou a medalha de prata nos 100 metros, mas ficou em último lugar no lançamento de dardo.

“Eu fiquei encantada com a estrutura”, relembrou a paraibana. “Vi pessoas com limitações maiores do que a minha se superando. Achei incrível, e ali eu vi que queria isso pra minha vida. Voltei ainda mais determinada pro sertão”.

Sempre obstinada, Silvana treinou duro e voltou com estilo, tornando-se campeã brasileira no lançamento de dardo. O sertão já estava ficando pequeno para o talento da atleta. “Lá, por exemplo, eu lançava com dardo de bambu, e em João Pessoa eu poderia treinar com o dardo oficial”.

Ao abandonar o conforto das redes de São Bento para morar em João Pessoa, Silvana ainda foi campeã brasileira mais duas vezes. No entanto, uma descoberta fez seus planos no esporte desmoronarem: sua categoria no atletismo não era contemplada no programa internacional paralímpico. “Minha meta desde que entrei no esporte era disputar o Parapan, a Paralimpíada. Aquilo me desmotivou muito”.

Recomeço no parataekwondo

Novamente por acaso, Silvana encontrou um novo estímulo no esporte. Em uma viagem para o Pan-Americano Universitário, no CT Paralímpico, em São Paulo, Silvana foi abordada por um funcionário do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), que queria lhe apresentar um esporte diferente: o parataekwondo.

“Ele falou que era um esporte novo, que estava crescendo muito, e que eu tinha porte físico pra competir. Como eu já estava lá, decidi aceitar e fazer um teste”. Foi nesse momento que a carreira de Silvana mudou para sempre. “O Alan Nascimento [técnico da seleção brasileira] viu que eu tinha facilidade de aprender e disse que, se eu me dedicasse, eu conseguiria crescer muito. Foi incrível ingressar em algo onde você vê um futuro tão promissor”, disse Silvana.

Através da indicação de Alan, Silvana iniciou os treinos de parataekwondo na Paraíba – enquanto conciliava com o atletismo, pois não poderia perder o benefício do Bolsa-Atleta.

Entretanto, era questão de tempo para que o parataekwondo assumisse o protagonismo. Em junho do ano passado, Silvana foi chamada para sua primeira competição internacional, o Pan-Americano de Portland. O Brasil ganhou quatro medalhas e nenhuma foi de Silvana, mas seu desempenho foi encantador. “Eu lutei contra a número 2 do mundo e fui muito bem, o placar não foi tão alto. A comissão viu que eu tinha futuro. Era só questão de tempo pra ganhar experiência e aperfeiçoar a técnica”.

Início de um sonho / deu tudo certo

A rápida ascensão concretizou-se em Lima, no Peru, onde a paraibana realizou o sonho de infância: disputar os Jogos Parapan-Americanos. Com um desempenho espetacular, Silvana Fernandes trouxe pra casa a histórica medalha de ouro. “Era a estreia do parataekwondo no Parapan, e eu sabia que meu futuro ia depender daquela competição. Marquei meu nome e mostrei que eu vim pra ficar”.

Ainda naquela semana histórica, Silvana tornou-se campeã brasileira, onde definitivamente assumiu a vaga de titular da seleção na categoria até 58 kg. No fim de 2019, no Europeu de Bari, na Itália, uma outra experiência enriquecedora: Silvana lutou contra a número 1 do mundo, a dinamarquesa Lisa Gjessing, e saiu derrotada. “Mas vimos que não é impossível ganhar”, ponderou.

Vaga olímpica e esperança renovada

O ano de 2020 está sendo cheio de emoções para Silvana. Em março, ela disputou na Costa Rica o último torneio qualificatório das Américas para a Olimpíada. Apenas o campeão de cada categoria ganhava a vaga em Tóquio. Missão dada é missão cumprida: Silvana venceu a jamaicana Shauna-Kay Hines e se classificou para o maior evento esportivo do planeta.

Em virtude da pandemia do coronavírus, o sonho olímpico foi adiado por mais um ano. Há tristeza pelas circunstâncias, mas em termos esportivos, Silvana não se frustrou com o adiamento. “Eu até gostei, pois tenho um ano a mais para adquirir experiência e treinar minha técnica. As chances que eu já tinha em 2020 são ainda maiores em 2021”.

Neste mês de agosto, Silvana Fernandes tornou-se uma das atletas patrocinadas pela AtletasNow, através da seletiva “Meu Primeiro Patrocínio é Aqui”. Um reconhecimento a quem batalhou muito pelo seu sonho e representa o Brasil com maestria mundo afora. As redes de São Bento embalaram um talento que ainda trará muitas conquistas para o nosso país.

Outros contemplados

Além de Silvana Fernandes, outros quatro atletas foram contemplados nesta edição da seletiva “Meu Primeiro Patrocínio é Aqui”: Joseph Vieira, do MMA; Júlia Bicudo, do karatê; Leandro Santos, do vôlei sentado; e Rafaela Vargas, do futebol.

Portanto, quer participar da seletiva de patrocínio da AtletasNow? Saiba que o primeiro passo é cadastrar seu perfil de atleta em nossa plataforma. Clique aqui e faça o seu!

[]