Nosso Blog

Voltar

Futuro olímpico: o que esperar das seleções brasileiras?

Futuro olímpico: o que esperar das seleções brasileiras?

O esporte no Brasil vem ganhando cada vez mais admiradores e atletas. Mas quando falamos de esporte de alto rendimento, ainda surgem grandes dúvidas em relação ao futuro das nossas seleções olímpicas brasileiras.

Ainda que frequentemente surjam grandes talentos de destaque nas principais competições, é muito pouco para um país do tamanho do Brasil. Nos quatro cantos do Brasil, existem milhares de atletas brasileiros que sonham em se tornar grandes campeões no esporte, mas esbarram na falta de incentivo.

Neste artigo, vamos abordar como estão os preparativos para as Olimpíadas de Tóquio 2020 e o que podemos esperar das nossas seleções olímpicas no futuro.

Pan como termômetro para Tóquio

Os Jogos Pan-Americanos que ocorreram em Lima, no Peru, representam um grande termômetro para nossas seleções olímpicas brasileiras. Ainda que estejamos relativamente longe do início das Olimpíadas de Tóquio, o Pan Americano demonstra como está a preparação desse ciclo olímpico.

Dessa forma, considerando os resultados do Pan de Lima, devemos destacar a grande evolução de modalidades individuais. A maioria das 171 medalhas do Brasil foram conquistadas por competidores solos.

Esportes individuais

O Brasil terminou na segunda colocação e obteve a melhor campanha da sua história nos últimos jogos Pan Americanos de Lima. Veja os números:

  • Total de 171 medalhas;
  • Ouro: 55;
  • Prata: 45;
  • Bronze: 71.

O esporte individual foi extremamente importante para essa conquista brasileira. Esse resultado pode ser considerado um reflexo do investimento que foi feito no Brasil para preparar os nossos atletas para as Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016.

Assim, temos uma geração de bons atletas em diversas modalidades individuais. Resta esperar que essa geração possa continuar gerando bons frutos e que futuramente haja investimento na formação de novos talentos de modalidades individuais.

A continuidade do trabalho é essencial para que as diversas modalidades esportivas individuais possam manter o nível competitivo e almejar grandes conquistas no futuro.

Esportes coletivos

As modalidades coletivas sempre trouxeram grandes alegrias para o esporte brasileiro. Os torcedores sempre colocam grandes expectativas nessas modalidades para que avancem nas principias competições e consigam trazer medalhas para o nosso país.

Futebol sempre em alto nível

O talento dos brasileiros para o futebol impressiona os amantes desse esporte e faz com que essa modalidade sempre esteja em alto nível competitivo, seja no futebol feminino ou no masculino.

Como ponto positivo, podemos destacar o surgimento de grandes talentos no futebol masculino e o grande trabalho nas bases dos principais clubes para formar bons atletas.

Já na seleção feminina, podemos perceber o encerramento de um ciclo vitorioso. Grandes atletas como Marta, Formiga e Cristiane provavelmente vão fazer sua última Olimpíada pela seleção, ficando uma incógnita de quem irá substituir essas atletas à altura.

Vôlei mantém seu favoritismo, mas precisa de formação de atletas

O vôlei brasileiro, nas últimas décadas, tem se destacado como a grande potência mundial. Apesar de campanhas ruins no Pan o vôlei masculino e feminino já está com a vaga garantida para Tóquio 2020.

No entanto, podemos ter problemas nos próximos ciclos olímpicos, caso não se repense a formação de atletas e investimento na base. Ou se repensa essa questão, ou o Brasil vai perder o status de melhor vôlei do mundo.

Basquete é uma incógnita

O basquete brasileiro sempre conseguiu formar grandes jogadores que se destacam nas principais ligas pelo mundo. No entanto, a seleção brasileira poucas vezes teve grande prestígio nessa modalidade, salvo raras exceções.

As duas seleções de basquete, feminina e masculina, ainda não garantiram vaga em Tóquio. Assim como em outros esportes, atletas veteranos que se destacaram com a amarelinha podem estar encerrando suas participações na seleção após as Olimpíadas em Tóquio.

Handebol demonstra trabalho consistente

O handebol brasileiro sempre entra nas competições como um dos favoritos. Afinal, devemos reconhecer o excelente trabalho que é feito nessa modalidade, principalmente se tratando de um esporte sem muita visibilidade.

O handebol feminino garantiu vaga nas Olimpíadas por meio do Pan. A equipe masculina bateu na trave e ficou sem a vaga em Tóquio. Mas o que podemos destacar é a consistência do trabalho com diversos títulos ao longo dos últimos anos, demonstrando uma grande evolução dessa modalidade no Brasil.

Busca por visibilidade e investimento

Ainda que a maioria das modalidades estejam muito melhores com relação a décadas passadas, podemos perceber que a falta de visibilidade e de investimento atrapalha um melhor rendimento dos atletas.

Mesmo que os atletas consigam êxito por meio de muita persistência, é essencial valorizar os nossos atletas e oferecer melhores condições para que eles possam alavancar suas carreiras.

Em muitas modalidades, é preciso manter a consistência dos projetos que foram pensados para as Olimpíadas do Rio e melhorar cada vez mais a estrutura para prática esportiva em todo o país.

Somente com essas medidas podemos esperar um futuro olímpico em que possamos almejar grandes conquistas.

Formação de atletas é a chave para o sucesso

O Brasil sempre teve grandes atletas nas diversas modalidades esportivas. No entanto, muitos desses atletas conseguiram êxito por meio de muita persistência e garra para vencer.

Desse modo, sem uma formação de atletas adequada, o esporte brasileiro não irá avançar como potência olímpica. Essa formação precisa começar desde a infância, criando o hábito pela prática do esporte nas crianças.

Também é preciso valorizar os jogos escolares e universitários. São nessas competições que surgem jovens promissores que podem representar a nossa seleção nas principais competições pelo mundo.

Dessa forma, a grande saída para o futuro olímpico brasileiro é olhar com mais atenção aos nossos jovens. Um grande atleta não surge a qualquer momento. É preciso investimento e treinamento para moldar grandes atletas!

O futuro olímpico brasileiro após Tóquio 2020

O trabalho com a formação de atletas e talentos precisa ser planejado sempre. Não basta esperar ver como será a campanha na próxima Olimpíada em Tóquio para depois pensar nas possibilidades de melhorias para o esporte olímpico.

Dessa forma, tanto o poder público como empresas patrocinadoras precisam pensar seriamente em manter uma sequência em investimentos para o esporte. Senão, a tendência é que o Brasil perca seu nível competitivo nos principais esportes olímpicos.

Não basta que os atletas treinem e se dediquem ao máximo para melhorar seu desempenho. Sem incentivo, esse trabalho pode não oferecer o devido retorno ao nosso país.

Mantendo atletas conectados

Atletas e profissionais do esporte podem se manter conectados por meio da plataforma AtletasNow. A plataforma serve tanto para divulgação das suas conquistas como melhorar sua rede de contatos com outros atletas, empresas e profissionais do esporte.

Uma boa rede de contatos pode lhe proporcionar novas oportunidades e experiências em sua carreira como atleta. Cadastre-se em nossa plataforma e conheça como a AtletasNow pode ser fundamental para alavancar sua carreira!