Nosso Blog
Paralimpíadas Universitárias começam em São Paulo

Paralimpíadas Universitárias começam em São Paulo

Foi dada a largada para a terceira edição das Paralimpíadas Universitárias. O primeiro dia do evento foi dedicado exclusivamente à cerimônia de abertura, realizada na quadra de futebol de 5 do Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. As competições acontecem na quinta (25) e na sexta-feira (26), com a cerimônia de encerramento marcada para o sábado (27).

A primeira edição das Paralimpíadas Universitárias aconteceu em 2017, com 154 participantes. No ano seguinte, o número aumentou para 292. Nesta edição, nada menos do que 382 atletas de 21 estados mais o Distrito Federal se inscreveram na competição. Porém, cabe lembrar que a disputa não é por estados, e sim por instituições de ensino.

A edição 2019 das Paralimpíadas Universitárias contempla oito modalidades: atletismo, bocha, basquete 3×3, judô, natação, parabadminton, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas. Todas têm início a partir desta quinta-feira (25).

Cerimônia de abertura

A cerimônia de abertura contou com a participação dos atletas inscritos e dos organizadores do evento.

O vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Ivaldo Brandão, demonstrou euforia com a variedade de participantes. “As Paralimpíadas Universitárias já são uma realidade. Nós sabemos o quão difícil é ingressar na universidade e praticar esporte, mas vocês estão mostrando que é viável. E o mais legal é que aqui não temos só atletas de graduação, mas também de especialização, mestrandos e doutorandos”, valorizou Ivaldo.

De acordo com o dirigente, um dos objetivos para as próximas edições é descentralizar os centros de referência, de forma que o evento também possa ser sediado em outros locais. “Essa avidez de oportunidades tem que ser disseminada para outras instituições. Queremos que os Jogos sejam aceitos em outros estados, e não apenas aqui no CT. Queremos levar o que temos de excelência também para o Acre, para o Rio Grande do Sul, para a Bahia, entre outros locais”.

Em busca de visibilidade

As Paralimpíadas Universitárias guardam grandes histórias espalhadas pelo Brasil.

Do Piauí, por exemplo, temos apenas dois atletas inscritos. Uma delas é Nayara Linhares, da natação, que nasceu com paralisia cerebral e é cadeirante. Acompanhada do treinador Childerico Robson, ela quer abrir as portas para que outros piauienses também ingressem no paradesporto.

“É muito bacana pra gente porque acaba abrindo mais portas pra quem quer praticar esporte. O paradesporto ainda precisa ser mais divulgado, e com a gente representando o Piauí aqui, isso dá visibilidade e abre mais portas”, disse Nayara à AtletasNow.

No tênis de mesa, um dos destaques é o carioca Vitor Penalva, 5º do ranking e 2º colocado do Rio de Janeiro na classe 5 masculina, uma das destinadas aos cadeirantes.

Vitor já ganhou três medalhas em Paralimpíadas Universitárias, sendo duas de prata e uma de bronze. “Agora, eu quero uma de ouro pra coroar essa trajetória”, disse ele, que alimenta o sonho de disputar os Jogos Paralímpicos de 2024, em Paris.

A propósito, 14 participantes das Paralimpíadas Universitárias viajam logo em seguida para um grande evento internacional: os Jogos Parapan-Americanos, em Lima, no Peru.

Objetivo do evento

O objetivo das Paralimpíadas Universitárias é estimular a prática esportiva de estudantes universitários com deficiência física, visual ou intelectual.

As Paralimpíadas Universitárias são organizadas pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), com apoio da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU).

A AtletasNow estará presente em todos os dias das Paralimpíadas Universitárias e trará uma cobertura exclusiva através do blog e das redes sociais. A missão da plataforma é dar visibilidade ao esporte paralímpico brasileiro e gerar oportunidades através da nossa rede social esportiva.

[]