Nosso Blog
Paralimpiadas Universitárias encerram com festival de medalhas

Paralimpiadas Universitárias encerram com festival de medalhas

A terceira edição das Paralimpíadas Universitárias encerrou em grande estilo nesta sexta-feira (26). Os campeões das oito modalidades que movimentaram o CT Paralímpico nesses dois dias foram conhecidos e levaram atletas e público ao delírio.

No basquete 3×3, uma versão reduzida do basquete em cadeira de rodas (com três jogadores em cada time e uma só cesta), o título ficou com a seleção de São Paulo, que já havia terminado o primeiro dia invicta e sacramentou o título. Os paulistas venceram a final contra o time do Paraná, enquanto Minas Gerais ficou com a medalha de bronze.

No tênis em cadeira de rodas, o último dia foi uma mera formalidade. O campeão já estava definido: foi o carioca Samuel de Oliveira, de 23 anos, da Universidade Salgado de Oliveira (Universo). Com experiência internacional, disputando torneios da ITF [Federação Internacional de Tênis] em países como Suécia, Chile e mais recentemente na Croácia, o atleta venceu todas as suas partidas e ficou com a medalha de ouro.

Samuel é top-10 do Brasil no ranking internacional paralímpico e #142 do mundo. “O tênis em cadeira de rodas tem progredido muito, com mais torneios, mais atletas, mais apoiadores. Depois que me tornei atleta, minha vida mudou e eu só tenho a agradecer ao esporte”, disse ele.

A prata do tênis em cadeira de rodas ficou com Caio Gonçalves, enquanto o acreano Frank Brito também subiu ao pódio e levou o bronze.

Falando em tênis, o tênis de mesa também definiu seus medalhistas. Enquanto no primeiro dia foi disputada a chave de duplas, hoje foram conhecidos os campeões na chave de simples. Entre os atletas que mais subiram ao pódio na modalidade estão Alex Sandro e João Carvalho, com quatro medalhas cada.

A única modalidade que já havia encerrado suas disputas no primeiro dia foi o judô. A manhã de hoje marcou apenas a cerimônia de distribuição das medalhas.

Atleta da seleção brilha no badminton

O parabadminton foi outra modalidade que movimentou o CT Paralímpico. O atleta da seleção brasileira Leonardo Zuffo, que já havia conquistado o ouro nas duplas, ganhou o ouro também em simples ao derrotar Miguel Vieira com parciais de 21-3 e 21-5.

Zuffo agora viaja para o Campeonato Mundial de Parabadminton, que será disputado em Basel, na Suíça, até o dia 25 de junho. Depois, ele parte para outra missão especial: a disputa dos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru.

“A expectativa é muito grande porque é a estreia do parabadminton no calendário do Parapan. Posso dizer que estou entrando na história e é uma honra ser um dos primeiros. Estou treinando muito para dar o meu melhor em Lima e ajudar o Brasil no quadro de medalhas”, disse Zuffo à AtletasNow.

A atleta Daniele Tôrres Souza, de Brasília, foi ainda além: ganhou três medalhas de ouro, nas categorias simples absoluto, simples WH1 (classe para usuários de cadeira de rodas) e duplas femininas.

Medalhas na natação e no atletismo

Os esportes com maior número de categorias e participantes, a natação e o atletismo, definiram os últimos campeões na manhã desta sexta-feira.

Na natação, o paranaense Gabriel Anthony voltou a brilhar. Ouro nos 100 metros livre na quinta-feira, ele subiu mais duas vezes ao topo do pódio, desta vez nas provas de 100 metros peito e 50 metros livre da classe S6. De quebra, ainda bateu três recordes universitários nessas respectivas provas.

Outros atletas também conseguiram ser bicampeões neste último dia de natação. Foi o caso de Ester de Oliveira Alves (classe S14), de Marília-SP, e a curitibana Lais Maryana (classe S7), da UniCesumar.

Já no atletismo, o destaque mais uma vez ficou por conta de Edevaldo Pereira da Silva, atleta da seleção brasileira de lançamento de dardo. Na sua especialidade, o atleta que vai disputar o Parapan de Lima não apenas foi campeão nas Paralimpíadas Universitárias, como também bateu o recorde universitário brasileiro.

Falando em recordes, o catarinense Allan Jones bateu dois em um único dia. Na classe F35, Allan foi campeão e se tornou recordista universitário tanto no lançamento de dardo quanto no lançamento de disco.

Paralimpiadas Universitárias 2019

Nesta edição, nada menos do que 382 atletas de 21 estados mais o Distrito Federal estiveram inscritos, um recorde da competição. A disputa é por instituições de ensino, e o nome da campeã será revelado na cerimônia de encerramento, ainda hoje, a partir das 19h.

O objetivo das Paralimpíadas Universitárias é estimular a prática esportiva de estudantes universitários com deficiência física, visual ou intelectual.

A AtletasNow esteve presente em todos os dias das Paralimpíadas Universitárias e trouxe uma cobertura exclusiva através do blog e das redes sociais. A missão da plataforma é dar visibilidade ao esporte paralímpico brasileiro e gerar oportunidades através da nossa rede social esportiva.

[]